Menu
Amizade
Amor
Aniversário
Chat
Clipes
Comemorativas
Cumprimentos
Datas Comemorativas
Desculpas
Felicidade
Frases Diversas
Humor
Letras de Música
 » A
 » B
 » C
 » D
 » E
 » F
 » G
 » H
 » I
 » J
 » K
 » L
 » M
  » Mariza Monte
  » Milton Nascimento
  » Martinho da Vila
  » Mamonas Assassinas
  » Mestre Ambrósio
  » Milton Guedes
 » N
 » O
 » P
 » Q
 » R
 » S
 » T
 » U
 » V
 » W
 » X
 » Y
 » Z
 » 0-9
Mural de Recados
Pára-choque
Reflexão
Relacionamento
Religiosas
Sabedoria
Saudade
Toques Grátis
Profissões


 
Letras de Música » M » Milton Nascimento 

Milton Nascimento - A barca dos amantes

Ah, quanto eu queria navegar

Pra sempre a Barca dos Amantes

Onde o que eu sei deixei de ser

Onde ao que eu vou não ia dantes



Ah, quanto eu queria conseguir

Trazer a Barca à madrugada

E desfraldar o pano branco

Na que for terra mais amada



E que em toda a parte o teu corpo

Seja o meu porta-estandarte

Plantado no céu mais fundo

Possa agitar-me no vento

E mostrar a cor ao mundo



Ah, quanto eu queria navegar

Pra sempre a Barca dos Amantes

Onde o que eu vi me fez vogar

De rumos meus, a cais errantes



Ah, quanto eu queria me espraiar

Fazer a trança à calmaria

Avistar terra e não saber

Se ainda o é quando for dia



E que em toda a parte o teu corpo

Seja o meu porta-estandarte

Plantado no seu mais fundo

Possa agitar-me no vento

E mostrar a cor ao mundo



Ah, quanto eu queria navegar

Pra sempre a Barca dos Amantes

Onde o que eu sei deixei de ser

Onde ao que eu vou não ia dantes



Ah, quanto eu queria me espraiar

Fazer a trança à calmaria

Avistar terra e não saber

Se ainda o é quando for dia



Enviar esta Frase / Mensagem para Alguém

Comentários (0)        Imprimir        Topo


 
Buscar